Advérbio e Locução Adverbial

20:44:00 Professora Manuka 0 Comentários

            Advérbio é a palavra invariável que modifica o sentido de um verbo, um substantivo, outro advérbio ou de uma frase inteira indicando relação de tempo, modo, lugar, dúvida, afirmação entre outras.


            Acompanhe a seguir as classificações dos advérbios seguidas de exemplos:

Tempo: ontem, hoje, agora, depois, amanhã.
Exemplo: Amanhã iremos à praia.

Modo: assim, bem, mal, depressa e a maioria dos terminados em –mente, como felizmente, apressadamente, suavemente, rispidamente, alegremente.
Exemplo: Maria estava andando apressadamente.

Intensidade: mais, menos, muito, pouco, assaz (bastante), quão, quase, tanto, demais, apenas.
Exemplo: Faz muito frio aqui na serra.

Lugar: aqui, ali, lá, acolá, embaixo, em cima, longe, perto, dentro, fora.
Exemplo: Aqui está a blusa que você estava procurando.

Dúvida: possivelmente, porventura, quiçá, talvez.
Exemplo: Talvez eu vá ao parque hoje.

Afirmação: sim, certamente, indubitavelmente, decididamente, certamente, realmente, efetivamente, decerto.
Exemplo: Indubitavelmente foi uma linda apresentação.

Negação: não, nunca, jamais, tampouco.
Exemplo: Nunca irei mentir para você.

As Locuções Adverbiais, por sua vez, têm a mesma função do advérbio, sendo formadas por duas ou mais palavras. Acompanhe a seguir:

Tempo: hoje à tarde, hoje à noite, ao amanhecer, ao cair da noite.
Exemplo: Hoje à noite tenho aula de inglês.

Modo: de bom grado, de má vontade, à vontade, à toa, às avessas, às claras, às escuras.
Exemplo: João faz suas tarefas de bom grado.

Intensidade: em excesso, de todo, de pouco, de muito.
Exemplo: Avisei que não deveria tomar sol em excesso.

Lugar: à direita, à esquerda, por ali, por aqui, por fora, por dentro.
Exemplo: A praça da cidade fica à esquerda do banco.

Dúvida: quem sabe, por certo.
Exemplo: Quem sabe Jamile ainda esteja em casa.

Afirmação: com certeza, de fato, sem dúvida, sem sombra de dúvida.
Exemplo: Você vai passar no vestibular com certeza.

Negação: de jeito nenhum, nem pensar, de modo algum, de forma alguma.
Exemplo: Não irei à festa de jeito nenhum.

Instrumento: com + objeto, com uma faca, com uma pinça, com uma caneta.
Exemplo: Minha mãe cortou a mão sem querer com uma faca.

Assunto: sobre + assunto, sobre política, sobre o meio ambiente, sobre poesia.
Exemplo: Meus amigos gostam de falar sobre o meio ambiente.

Companhia: acompanhado de, na companhia de, com + acompanhante (mãe, pai, amigos, primos).
Exemplo: Fui ao cinema com minha mãe.

0 comentários:

Mas, Mais ou Más ?

09:25:00 Professora Manuka 2 Comentários


    Algumas palavras da Língua Portuguesa têm um som muito parecido, o que causa confusão na hora de escrever. Um exemplo desse fenômeno é a dúvida: usar mas, mais ou más? Vamos conferir as diferenças entre elas.


1) Mas
É uma conjunção adversativa. O que isso significa? Que ela contradiz um termo anterior, traz uma ideia de oposição. É equivalente a porém, contudo e todavia.
Exemplos:
João comprou o caderno que tanto queria, mas não ficou satisfeito com o preço.
Marta comprou o macarrão e o molho, mas se esqueceu do sal.
Carlos disse que passou de ano em Matemática, mas ficou reprovado em Biologia.
Queria ir surfar hoje, mas preciso estudar para a prova.

2) Mais
É um advérbio de intensidade, transmite ideia de adição, é o contrário de menos.
Exemplos:
Minha mãe é a pessoa mais linda do mundo.
Compramos mais tomates para fazer a receita.
Chegou mais um convidado para a festa.
Sofia ficou reprovada em mais de uma matéria esse ano.

3) Más
Más é o feminino plural de mau. O feminino de mau é má, no plural: más.
Exemplos:
Aquelas meninas da escola são muito más por terem mentido.
Pessoas más nunca terão sucesso.
No meio de tantas pessoas boas, havia três que eram más.
Por que as duas irmãs são sempre tão más com seus primos? 





2 comentários:

Pronomes Indefinidos

12:15:00 Professora Manuka 0 Comentários

    Os pronomes indefinidos são aqueles que se referem a um substantivo de modo vago, impreciso ou genérico. Eles podem ser variáveis ou invariáveis. Acompanhe:


Acompanhe a seguir as classificações dos pronomes indefinidos seguidas de exemplos:

1) Pronomes Indefinidos Variáveis: algum, nenhum, todo, outro, muito, pouco, certo, vário, tanto, quanto, qualquer.
Exemplos:
Não vi nenhum aluno naquela rua.
Vamos comprar muitas laranjas para fazer o doce.
Poucas pessoas conseguem realizar essa tarefa.

2) Pronomes Definidos Invariáveis: alguém, ninguém, tudo, outrem, nada, cada, algo.
Exemplos:
Alguém viu minha caneta?
Ninguém conhece o novo diretor.
Tudo que fiz foi tentando acertar.

Os pronomes indefinidos também são encontrados em locuções: cada um, cada qual, qualquer um, seja qual for, seja quem for, todo aquele que etc.
Exemplos:
Cada um deve cuidar da sua vida.
Qualquer um pode fazer essa receita.
Todo aquele que deseja conquistar uma vaga deve estudar bastante.

-Veja também outras postagens com o tema pronome:
Pronomes pessoais
Pronomes possessivos





0 comentários:

O que é adjetivo ? # Aula 3

12:51:00 Professora Manuka 0 Comentários




    Oi gente, saiu videoaula nova: O que é Adjetivo? Vem comigo aprender mais esse conteúdo.

0 comentários:

A cerca de, Acerca de e Há Cerca de: Saiba como Usar

08:58:00 Professora Manuka 0 Comentários

    Algumas expressões da Língua Portuguesa causam dúvidas na hora da escrita por haver mais de uma opção e cada uma com significados diferentes. As que destacaremos hoje são: a cerca de, acerca de e há cerca de.


1) A cerca de
Indica distância, quando alguém informa uma relação entre dois pontos.
Exemplos:
Minha casa está a cerca de 20 metros da escola.
Sua cidade está a cerca de 40 quilômetros da praia.
A escola onde Maria estuda fica a cerca de 200 metros da padaria.

2) Acerca de
É sinônimo de sobre, significa falar algo relacionado a uma pessoa, cidade, objeto etc.
Exemplos:
Estávamos falando acerca da (de + a) nova organização da empresa.
Meu professor falou acerca desse (de + esse) assunto.
Gostamos de conversar acerca das (de + as) novas oportunidades de estudo.

3) Há cerca de
Indica tempo transcorrido, tempo que se passou.
Exemplos:
Moro em São Paulo há cerca de 12 anos.
Comecei a faculdade de Direito há cerca de dois anos.
Minha mãe estudou naquela escola há cerca de 30 anos.



0 comentários:

Pronomes Pessoais

09:05:00 Professora Manuka 0 Comentários

    Os pronomes pessoais servem para designar as pessoas do discurso, podendo ser classificados em Pronomes Pessoais do Caso Reto e Pronomes Pessoais do Caso Oblíquo. Acompanhe:


1. Pronomes Pessoais do Caso Reto
São os que têm a função de sujeito ou predicativo do sujeito na oração. São eles:
O locutor (a pessoa que fala): 1ª pessoa: eu (singular) ou nós (plural);
O locutário (a pessoa com quem se fala): 2ª pessoa: tu (singular) ou vós (plural);
O assunto ou referente ( de que ou de quem se fala): 3ª pessoa ele/ela (singular) ou eles/elas (plural).

Vamos aprender agora a qual pessoa do discurso cada pronome pertence:
Eu                    -> 1ª pessoa do singular
Tu                    -> 2ª pessoa do singular
Ele/Ela/Você   -> 3ª pessoa do singular

Nós                    -> 1ª pessoa do plural
Vós                    -> 2ª pessoa do plural
Eles/Elas/Vocês -> 3ª pessoa do plural

    Dependendo da região, as pessoas podem usar mais o tu ou você para se referirem ao interlocutor.

2. Pronomes Pessoais do Caso Oblíquo
    São os que têm função de complemento na oração. São eles:
                 
                    Átonos (usados sem preposição)               Tônicos (usados com preposição)
Singular        
1ª                                me                                                              mim, comigo                  
2ª                                 te                                                                  ti, contigo
3ª                           o, a, lhe,se                                                   si, ele, ela, consigo

Plural
1ª                             nos                                                                 nós,conosco
2ª                             vos                                                               vós, convosco
3ª                       os, as, lhes,se                                                 si, eles, elas,consigo

Exemplos:
Eu vou buscá-la na escola hoje. (Eu-> pronome pessoal do caso reto; la: pronome pessoal do caso oblíquo a).
Maria foi comigo ao supermercado. (Comigo-> pronome pessoal do caso oblíquo).


Observação: Os verbos, quando acrescentados dos pronomes oblíquos o, a, os, as, mudam sua forma e a do pronome também, por uma questão fonética. Buscar ela = buscá-la, perder ele = perdê-lo e assim sucessivamente.

-Veja também outras postagens com o tema pronome:
Pronomes indefinidos
Pronomes possessivos
Pronomes demonstrativos



 
 

0 comentários:

Infinitivo, Particípio e Gerúndio # Aula 2

12:28:00 Professora Manuka 0 Comentários



    Olá, estou publicando a segunda videoaula no meu canal, sobre Infinitivo, Particípio e Gerúndio, venham conferir. Se gostarem, se inscrevam, comentem e compartilhem.




0 comentários:

Linguagem Denotativa e Conotativa

08:44:00 Professora Manuka 0 Comentários

    Nas aulas de Português, ouvem-se muitos termos e definições, alguns temos até dificuldade de lembrar. Hoje nós vamos aprender a diferenciar linguagem denotativa de linguagem conotativa. 

1. Linguagem Denotativa
A palavra expressa o seu sentido original, como o que é expresso no dicionário.
Exemplo:
O rio transbordou e alagou a cidade.

2. Linguagem Conotativa
A palavra ganha um novo sentido na frase, diferente do habitual. 
Exemplo:
Júlia chorou um rio de lágrimas por causa do falecimento do pai.

    A palavra rio apareceu nos dois exemplos dados, mas com sentidos diferentes. No primeiro tópico, ela está no seu sentido original, como todos conhecemos: um rio é um curso de água, que corre do ponto mais alto para o ponto mais baixo e deságua em outro rio ou no mar. Já no segundo exemplo, vemos que essa palavra assume outro sentido, pois nenhum ser humano é capaz de chorar o bastante para formar um rio, a expressão "chorou um rio de lágrimas" quer dizer, então, chorou muito, sofreu bastante.

Fonte: Divulgação

    
    Na imagem acima, vemos o título da notícia "Estamos Devorando o Planeta". É claro que não podemos comer a Terra, a notícia está falando que estamos esgotando os recursos do mundo.

Fonte: Divulgação

    Agora observe esse jornal: "Carvão volta à disputa de leilões de energia" e as demais manchetes. Estão passando a informação de maneira objetiva e clara, que é a linguagem geralmente usada nesse meio de comunicação.

    Dica: para que eu conseguisse lembrar o que cada linguagem significa, eu costumava fazer a seguinte relação conotação->coração e denotação->definição, era algo que me ajudava bastante e é fácil de lembrar. A linguagem conotativa está mais presente em poesias, já a denotativa está mais presente em textos formais, como notícias.    



0 comentários:

Locução Adjetiva

12:27:00 Professora Manuka 0 Comentários

    Na aula de hoje iremos estudar o que é Locução Adjetiva, caso tenha perdido a explicação sobre o que é adjetivo, sugiro que comece por lá e volte em seguida, pois esse conteúdo é uma continuação dela.

Fonte: Divulgação
    Observe a frase em vermelho na capa do livro, está escrito "Amor de Pai". Amor é um substantivo e pai também. Entretanto, antes da palavra pai, vem a preposição de, dando origem à expressão "de pai", que dá uma característica à palavra amor, sendo por tanto considerada uma locução adjetiva.
    Definição: Locuções adjetivas são expressões (ou seja, precisam ter duas ou mais palavras) que têm valor de adjetivo. Boa parte das locuções adjetivas é formada pela preposição de + substantivo.
   
 Exemplos: 
de anjo = angelical
de pai = paterno
de mãe = materno
de irmão = fraterno
da noite = noturno
da manhã = matinal
da tarde = vespertino
de gelo = glacial
de estrela  = estelar
da chuva = pluvial

O amor de mãe (= materno) é incomparável.
A água da chuva (= pluvial) causou o rompimento da barragem.

    Podem ser formadas também por preposição + advérbio. Exemplos: de hoje, de ontem, de trás.

A comida de hoje ficou deliciosa. 
O pneu de trás está seco.




0 comentários:

Videoaula: O que é verbo?

18:42:00 Professora Manuka 0 Comentários

video


    Oi gente, comecei um canal no youtube para postar videoaulas sobre os conteúdos que coloco aqui no blog, algumas pessoas aprendem melhor ouvindo, outras lendo. Enfim, para melhorar o aprendizado, deixo ambas as opções. Acredito que postarei videoaulas no canal semanalmente. Por fim, desconsidere qualquer barulho de automóveis, porque minha rua é bem movimentada. O meu canal é Professora Manuka, se gostarem inscrevam-se para acompanhar as próximas aulas. 
    

0 comentários:

Numerais

08:58:00 Professora Manuka 0 Comentários

    Os numerais estão presentes no nosso dia a dia nas notas de dinheiro, nos preços, nas placas de carro, nas páginas dos livros e em muitas outras situações. Vamos aprender agora quais as classificações dessa classe gramatical.


1. Numerais Cardinais
São aqueles que designam uma quantidade de seres. São eles: um, dois, três, quatro e assim sucessivamente.
Exemplos:
Li 25 páginas daquele livro ontem.
Comi três pratos de sobremesa.
Olhamos quatro casas, mas não compramos nenhuma.
Dica: os numerais de zero a nove são escritos por extenso, a partir do numeral 10 pode ser feita a escrita numérica.

2. Numerais Ordinais
São aqueles que indicam uma ordem ou posição entre os elementos. São eles: primeiro, segundo, terceiro, quarto e assim sucessivamente.
Exemplos:
João foi o primeiro a terminar a prova.
Mariana foi a quarta pessoa a comprar na minha loja.
Importante: último, penúltimo, antepenúltimo, derradeiro, anterior e final não são numerais, são adjetivos. Cuidado com as pegadinhas em provas.

3. Numerais Multiplicativos
São numerais que expressam um aumento proporcional a um múltiplo da unidade. São eles: dobro, triplo, quádruplo e assim sucessivamente.
Exemplos:
Comi o dobro de pizza que Bianca.
João ganha o triplo do meu salário.

4. Numerais Fracionários
São numerais que indicam uma divisão (fração) da unidade. São eles: um meio, um terço, um quarto e assim sucessivamente.
Exemplos:
Francisco recebeu um terço da herança dos pais.
Ganhei um quarto do doce que minha mãe comprou.
Dica: a partir do denominador onze até o noventa e nove, usa-se a terminação avos. Exemplo:
Recebi um onze avos de um terreno da família.

5. Numerais Coletivos
Não aparecem muito nos livros mas são bastante usados no cotidiano. Expressam um coletivo de objetos, mas diferente dos substantivos coletivos, os numerais coletivos indicam uma quantidade exata. São eles: dúzia, meia dúzia, par, centena, dezena, década, biênio, lustro (período de cinco anos), entre outros.
Exemplos:
Comprei uma dúzia de ovos.
A feira literária ocorre a cada biênio.













0 comentários:

O que é artigo?

11:16:00 Professora Manuka 2 Comentários


    O  artigo é a palavra que antecede o substantivo, definindo-o ou indefinindo-o. Pode, ainda, generalizá-lo ou particularizá-lo. Classificam-se em artigos definidos e artigos indefinidos.


1) Artigos Definidos
Define precisamente o substantivo, servindo ainda para evitar a repetição desnecessária. São eles: o, a, os, as.
Exemplos:
A bolsa da mulher está em cima da mesa. (Repare que o artigo "a" indica que se trata de uma bolsa específica).
A cidade festejou até o amanhecer. (Repara que não é qualquer cidade, é provavelmente uma cidade já mencionada em conversa anterior). Confira abaixo:
Olinda teve uma grande festa ontem. A cidade (Olinda) festejou até o amanhecer. (O artigo evitou a repetição).

2) Artigos Indefinidos
Indicam um ser qualquer da mesma espécie, que ainda não foi citado. São eles: um, uma, uns, umas.
Exemplos:
Fui comprar um caderno. (A pessoa pode ter comprado qualquer caderno).
Há uma mulher esperando por você na sala. (Pode ser qualquer mulher que está esperando, não foi especificado).
Havia um rapaz esperando na esquina. (Pode ser qualquer um).



2 comentários:

O que é adjetivo?

09:52:00 Professora Manuka 0 Comentários

    O adjetivo é a palavra que dá uma característica a um substantivo. Alguns professores explicam o adjetivo como a palavra que expressa qualidade, mas terrível, feio e maldoso são adjetivos, entretanto não expressam qualidades. Guarde a seguinte relação: adjetivo -> característica


Exemplos:
1) A mulher é bondosa.
2) Aquela árvore é bela.
3) O tenente é muito exigente.
    As palavras em amarelo são adjetivos, você consegue  identificar a quem elas estão se referindo? Na frase 1, fica a pergunta: quem é bondosa? Na própria frase nós vemos que a mulher é a pessoa bondosa. Na frase 2, pergunta-se: quem ou o que é bela(o)? A frase mostra que aquela árvore é o que há de belo. Na frase 3 vemos um adjetivo composto, que tem duas ou mais palavras, quem é muito exigente? O tenente é essa pessoa muito exigente. Nas duas primeiras frases o adjetivo tem só uma palavra, sendo, portanto um adjetivo simples
    Temos ainda os adjetivos pátrios, que indicam o lugar de origem de uma pessoa.
Exemplos:
João é brasileiro. (Veio do Brasil).
Mariana é alagoana. (Veio de Alagoas).

Graus do Adjetivo

    O adjetivo possui três graus: normal, comparativo e superlativo.

1) Grau Normal
O adjetivo caracteriza um substantivo (sem indicar intensidade). É o caso das duas primeiras frases que trabalhamos anteriormente.
Exemplos: 
1) A mulher é bondosa.
2) Aquela árvore é bela.

2) Grau Comparativo
Nessa variação, é feita uma comparação entre dois seres, que pode ser de igualdade, superioridade ou inferioridade.
a) Igualdade
Usa-se a expressão: tão (adjetivo) quanto/como/quão.
Exemplos:
João é tão inteligente quanto Mateus.
Mariana é tão bonita quanto Andressa.

b) Superioridade
Usa-se a expressão mais (adjetivo) que. Observação: alguns adjetivos têm formas irregulares como: (mais) bom-melhor, (mais) ruim-pior, (mais) grande-maior, (mais) pequeno-menor, fique atento, para não errar.
Exemplos:
João é mais inteligente que Mateus.
Mariana é mais bonita que Andressa.
João é maior que Mateus. (Não se usa mais grande).

c) Inferioridade
Usa-se a expressão menos (adjetivo) que.
Exemplos:
João é menos inteligente que Mateus.
Mariana é menos bonita que Andressa.

3) Grau Superlativo
O substantivo recebe uma característica mais elevada em comparação com outros seres da mesma espécie. Temos aqui o superlativo relativo e o absoluto.

->Relativo
Explicita seres que serão mais ou menos possuidores da característica do que os outros. Pode ser de superioridade e de inferioridade.
a) Superlativo Relativo de Superioridade
Usa-se a expressão o (a) mais (adjetivo).
Exemplos: 
João é o mais inteligente de todos os estudantes.
Mariana é a mais bonita desse concurso.

b) Superlativo Relativo de Inferioridade
Usa-se a expressão o (a) menos (adjetivo).
João é o menos inteligente da turma.
Mariana é a menos bonita desse concurso.

->Absoluto
Caracteriza seres que possuem características muito elevadas. Pode ser analítico ou sintético.
a) Superlativo Absoluto Analítico
Usa-se uma expressão de intensidade (muito, extremamente, excessivamente ou imensamente) + adjetivo.
Exemplos:
João é extremamente inteligente.
Mariana é imensamente bonita.

b) Superlativo Absoluto Sintético
Usa-se uma expressão equivalente às da frase anterior, mas com a diferença de ser utilizada somente uma palavra para isso. Geralmente acrescenta-se os sufixos -íssimo, -imo, -ílimo ou -érrimo ao adjetivo para formar o superlativo absoluto sintético.
Exemplos: 
João é inteligentíssimo. (= extremamente inteligente).
Maria é belíssima. (= extremamente bela).

































0 comentários:

Substantivo comum de dois gêneros, sobrecomum e epiceno

08:19:00 Professora Manuka 0 Comentários

Quando o aluno ouve esses nomes na aula de Português já pensa: lá vem matéria difícil, mas na verdade é bem mais simples do que você pensa, acompanhe a seguir:


1. Substantivo Comum de dois Gêneros
A distinção entre homem e mulher só pode ser feita através de um artigo, adjetivo, numeral ou pronome.
Por exemplo: 

1) O pianista é muito dedicado.

A palavra pianista não demonstra se quem toca piano é homem ou mulher, mas o artigo "o" nos esclarece que nesse caso é um homem que está tocando.

2) A artista é muito criativa.

Artista, assim como pianista, não demonstra se a pessoa de quem estamos falando é homem ou mulher, mas o artigo "a" nos diz que é uma mulher.



2. Substantivo Sobrecomum
O artigo, adjetivo, numeral ou pronome são os mesmos para homens e mulheres, por isso é o contexto que irá especificar de qual estamos falando.
Por exemplo: 

1) As crianças brincam no parque.

A palavra crianças é acompanhada pelo artigo "as", mas isso não é suficiente para determinar se estamos falando de meninas ou meninos, seria necessária uma descrição mais detalhada ou até mesmo estarmos presentes no local para identificar.

2) A vítima deu seu testemunho sobre o caso.

A palavra vítima designa tanto homens quanto mulheres, sendo necessário obter mais informações para especificar o gênero.

Nos substantivos sobrecomuns, a mesma palavra serve para designar homens e mulheres.




3. Substantivos Epicenos
É preciso acrescentar as palavras macho ou fêmea para distinguir o gênero.

Por exemplo: jacaré macho - jacaré fêmea
                       cobra macho - cobra fêmea
                       borboleta macho - borboleta fêmea

A cobra macho dessa espécie tem uma mordida muito perigosa.

- Veja também:

O que é substantivo?

Lista de substantivos coletivos

0 comentários:

O que é substantivo?

15:43:00 Professora Manuka 0 Comentários

Substantivo é a palavra que dá nome às coisas, sentimentos, pessoas, animais e lugares. Tudo tem um nome que pode ser identificado por outra pessoa falante da mesma língua, se eu falo gato, você provavelmente vai imaginar um animal de quatro patas, que mia e ronrona. Assim funciona com o restante das coisas, cada uma tem um nome. Acompanhe:

Imagem: Freepik.

Essa classe gramatical é variável, ou seja, muda sua forma de acordo com o gênero (masculino ou feminino) e grau (singular ou plural). Exemplos:

1. O menino gosta de andar de bicicleta.
2. A menina gosta de andar de bicicleta.
3. Os meninos gostam de tomar sorvete.
4. Aquele estacionamento está cheio de bicicletas.

As palavras destacadas são substantivos. Observe que, no primeiro exemplo, a palavra menino está no masculino, concordando com o artigo "o", como é só um menino, temos só uma bicicleta.

No exemplo dois, a forma está diferente, pois o substantivo está na sua forma no feminino, menina, e bicicleta permanece no singular.

Na frase três, percebe-se que o substantivo está no masculino, mas está diferente da frase um, pois foi acrescentado um "s" no final da palavra, o que indica o plural, agora temos dois ou mais meninos.

Na frase quatro, bicicleta recebeu um "s" no final, demonstrando que são dois ou mais exemplares do mesmo objeto. 

Classificações do Substantivo

1. Substantivo Comum
É aquele que designa seres de um mesmo grupo.
Por exemplo: mesa, mulher, gato e cachorro.

2. Substantivo Próprio
É aquele que nomeia seres específicos dentro de um grupo (nomes de pessoas, países, restaurantes, ruas, entre outros, é identificado por iniciar com letra maiúscula).
Por exemplo: João, Itália, Maceió, Mariana e Estados Unidos.

3. Substantivo Concreto
É aquele que pode ser identificado como existência independente, sendo do mundo real ou imaginário.
Por exemplo: mesa, cadeira, martelo, luz, Deus e fada.
Então, você se pergunta: luz, Deus e fada são concretos? Não caia em pegadinhas, quando ouvem essas palavras, as pessoas podem formar imagens delas em suas mentes, então elas possuem existência própria, ainda que não seja material.

4. Substantivo Abstrato
É aquele que não possui existência independente.
Por exemplo: amor, felicidade, raiva e ódio.
Quando se fala essas palavras, ninguém imagina um rosto para o amor, pode ser um filho, um namorado, o pai, a mãe, enfim, esses substantivos geralmente precisam de uma personificação para ser identificados.

5. Substantivo Simples
É aquele formado por somente uma palavra.
Por exemplo: pedra, mar, abelha e menino.

6. Substantivo Composto
É aquele formado por duas ou mais palavras.
Por exemplo: pé de moleque, guarda chuva e quarta feira.

7. Substantivo Coletivo
É aquele que designa um grupo de indivíduos da mesma espécie.
Por exemplo: cardume (aglomeração de peixes), arquipélago (conjunto de ilhas) ou molho (conjunto de chaves).

8. Substantivo Primitivo
É aquele que não deriva de nenhuma outra palavra.
Por exemplo: pedra, flor e menino.

9. Substantivo Derivado
É aquele que deriva de outra palavra.
Por exemplo: pedreira, florzinha e meninão.

Você se pergunta se uma palavra pode entrar em mais de uma classificação, é claro que pode. Menino, por exemplo, é substantivo simples, é concreto, comum e primitivo. E se cair duas classificações possíveis na questão? Ela estará nula, pois deve ser elaborada só com uma resposta certa, exceto no caso de o enunciado possibilitar mais de uma resposta.



0 comentários:

Exercícios sobre Modos Verbais

09:29:00 Professora Manuka 10 Comentários

1) Coloque entre parêntesis A -> se for modo indicativo, B -> se for modo subjuntivo e C-> se for imperativo.

Caso precise revisar a matéria, leia antes: -> Modos Verbais

a) Janete gosta de brincar. (  )
b) Pare de falar. (  )
c) Ficaria feliz se Lucas jogasse menos video game. (  )
d) Vamos à praia amanhã. (  )
e) Vá buscar o pacote agora. (  )
f) Estamos lendo sobre Machado de Assis. (  )
g) Achei melhor chegar cedo. (  )
h) Queria que Marcelo fosse ao supermercado hoje. (  )
i) O gato comeu toda a ração do pote. (  )
j) Não mexa nas minhas coisas. (  )
k) Cheguei atrasado ao encontro. (  )
l) Pare de fazer gracinhas. (  )
m) Está chovendo hoje. (  )
n) Gostaria que chovesse hoje. (  )
o) Li todo o livro de Biologia da escola. (  )

2) Leia a tirinha e responda:
Fonte: divulgação.
Os verbos entre aspas no primeiro quadrinho estão no modo:
a) Subjuntivo.
b) Futuro.
c) Imperativo.
d) Presente.
e) Indicativo.

3) (Fuvest-SP) Passe o texto para a forma negativa:
"Sai daqui! Foge! Abandona o que é teu e esquece-me."


4) (Telerj) Assinale a única frase cujo verbo está no pretérito perfeito do modo indicativo:
a) O Serviço 0800 de Discagem Direta evoluiu.
b) Você programara o atendimento.
c) O cliente comunicar-se-à com você.
d) Ninguém compraria aquele aparelho.
e) Ele nunca me falava nada.

5) (Telerj) Os clientes ligam, você atende.
A parte destacada desta frase no imperfeito do modo subjuntivo ficaria assim:
a) Quando os clientes ligarem
b) Se os clientes ligassem
c) Os clientes ligariam
d) Os clientes ligaram
e) Quando os clientes ligavam

6) (Enem) A forma verbal sublinhada tem força de imperativo em:
a) Ora, direis, ouvir estrelas ...
b) Ao toque do sinal, entrar em classe.
c) É preciso que eles venham comigo ao aeroporto.
d) Serão expulsos, caso assim se comportem.
e) Lembrar não me traz de volta ao passado.

7) (ITA-SP) Os verbos são da letra da música Cobra, de Rita Lee e Roberto de Carvalho:
"Não me cobre ser existente
Cobra de mim que sou serpente"

Com relação ao emprego do imperativo nos versos, podemos afirmar que:
a) A oposição imperativo negativo e imperativo afirmativo justifica a mudança do verbo cobre/cobra.
b) A diferença de formas (cobre/cobra) não é registrada nas gramáticas normativas, portanto há inadequação na flexão do segundo verbo.
c) A diferença de formas (cobre/cobra) deve-se ao deslocamento da 3ª para a 2ª pessoa do sujeito verbal.
d) O sujeito verbal (3ª pessoa) mantém-se o mesmo, portanto o emprego está adequado.
e) O primeiro verbo no imperativo negativo opõe-se ao segundo verbo que se encontra no presente do indicativo.

8) (TRF) Considerando as formas verbais destacadas nas três frases abaixo, a opção com a correta classificação de tempos e modos é, respectivamente:
1. Toma conta da minha bagagem, enquanto eu vou até ali.
2. "Não façais aos outros o que não quereis que vos façam."
3. Os astrônomos negam que o Sol gira em torno da Terra.

a) Presente do indicativo / presente do subjuntivo / presente do subjuntivo.
b) Imperativo afirmativo / imperativo negativo / presente do indicativo.
c) Imperativo afirmativo / imperativo negativo / presente do subjuntivo.
d) Imperativo afirmativo / presente do subjuntivo / presente do subjuntivo.
e) Presente do indicativo / imperativo negativo / presente do subjuntivo.

Gabarito:

1)
a) ( A )
b) ( C )
c) ( B )
d) ( A )
e) ( C )
f) ( A )
g) ( A )
h) ( B )
i) ( A )
j) ( C )
k) ( A )
l) ( C )
m) ( A )
n) ( B )
o) ( A )

2) (C)

3) Não saias daqui! Não fujas! Não abandones o que é teu e não me esqueças.

4) (A)     5) (B)     6) (B)    7) (C)     8) (B)

- Veja também:

O que é verbo?

Formas nominais do verbo

10 comentários:

Modos Verbais

09:08:00 Professora Manuka 2 Comentários

Os modos verbais são as ideias que os verbos transmitem em suas conjugações e são classificados em: Indicativo, Subjuntivo e Imperativo. Algumas pessoas ficam em dúvida em relação ao emprego de cada uma dessas formas, mas iremos simplificar agora o processo de reconhecer e aplicar cada uma delas. Acompanhe:
  
Imagem: Freepik.

1 - Indicativo:
Exprime ideia de certeza. Por exemplo:

João brincou no parque.
Maria terminou a lição de casa.
Roberta passou no vestibular.

2 - Subjuntivo:
Exprime ideia de dúvida, desejo ou possibilidade. Por exemplo:

Gostaria que Maria ficasse mais tempo conosco.
Queria ter mais tempo para conversar com você.
Seria bom encontrar uma casa por aqui.

3 - Imperativo:
Exprime ideia de ordem, pedido ou ameaça. Por exemplo:

Não saia de casa.
Obedeçam às leis da cidade.
Não fuja das suas obrigações.


Veja agora o mesmo verbo estudar nos três modos verbais:

João estuda muito. - Indicativo
Gostaria que João estudasse mais. - Subjuntivo
Não pare de estudar. - Imperativo

Percebeu a diferença? O modo indicativo vai mostrar algo que acontece certamente (João estuda), o subjuntivo vai mostrar um desejo, algo mais parecido com um pedido (gostaria que) e o modo imperativo vai ser algo mais autoritário (não pare, em tom de ordem).

- Veja também:

2 comentários:

Mas eu não gosto de estudar Matemática ...

21:57:00 Professora Manuka 0 Comentários


    
    Calma, aqui no blog ninguém é contra as exatas. O pensamento dessa frase é repetido em diversas salas de aula no Brasil, seja por alunos estudando para as provas bimestrais, para quem está estudando para o ENEM ou para concursos.
    Entretanto, o vestibular não é formado só de matérias que nós gostamos ou nos identificamos, por isso é preciso fazer uma força para aprender a matéria que você menos gosta ou tem mais dificuldade.     Ilustrei o pensamento com a Matemática, mas algumas pessoas não gostam de Química, outras não gostam de História, por acharem difícil lembrar-se de acontecimentos, nomes ou datas. Resumidamente, as pessoas são diferentes e gostam de coisas diferentes, sendo isso algo muito bom, pois traz diversidade para o mundo. Eu, por exemplo, não entendo de construção civil, mas tenho necessidade de morar em algum lugar, por isso preciso de alguém que, diferente de mim, entenda do assunto e erga a casa para eu morar (é para eu mesmo, porque mim não conjuga verbo). Da mesma forma outras áreas do conhecimento como medicina, direito, meio ambiente e tantas outras só estão à nossa disposição porque alguém se interessou e se especializou nelas.
    Mas, para que você possa se especializar no que gosta, é preciso que passe no vestibular, prova que contém assuntos diversos. Se tiver dificuldade em alguma matéria, não hesite em procurar ajuda de um colega que conheça melhor o assunto, pergunte ao professor como fazer para aprender melhor a matéria dele, procure não conversar muito durante a explicação da matéria que você tem dificuldade e faça questionários sobre cada assunto, ajuda bastante na hora de estudar.
    Se eu não gosto de matéria x, por que devo estudá-la?
    Eu tenho um amigo que na época da escola era apaixonado por Matemática, tanto que hoje está se formando em Licenciatura em Matemática. Durante um tempo, ele decidiu que só iria estudar o que gostava e não iria prestar atenção às outras aulas, mas ele não bagunçava nem atrapalhava a explicação do professor. Um belo dia, nosso professor de Física disse que estava mais preocupado com ele do que com outros alunos, mesmo ele sendo inteligente, só estava estudando uma matéria, enquanto deixava as outras de lado. No dia do vestibular, ele não iria passar, pois a nota abrange diversos assuntos. Ele viu que tinha que estudar um pouco de tudo e passou no vestibular para o que ele gostava.
    Sendo assim, estude bastante, e estude mais ainda aquilo que você não gosta até ficar bom nisso, você irá se orgulhar de si mesmo por ter vencido mais um obstáculo na busca pelos seus objetivos.

0 comentários:

Exercício sobre Verbos

19:46:00 Professora Manuka 2 Comentários



1. Grife os verbos das orações abaixo.

a) Os alunos leram um livro.
b) Muitas pessoas viajam nas férias.
c) Hoje é dia sete de fevereiro.
d) Talvez eu participe do campeonato.
e) Gosto muito de meus pais.
f) Seremos bons amigos.
g) Fiz todas as atividades.
h) Choveu muito ontem.

Agora, vamos ao gabarito, lembrando daquela dica que se você consegue conjugar, é verbo. Coloquei ao lado se é verbo de ação, estado ou fenômeno da natureza, para fixar melhor a explicação de definição que fiz na aula passada.

1. Grife os verbos das orações abaixo.

a) Os alunos leram um livro. verbo de ação.
b) Muitas pessoas viajam nas férias. verbo de ação. 
c) Hoje é dia 7 de fevereiro. verbo de estado.
d) Talvez eu participe do campeonato. verbo de ação.
e) Gosto muito de meus pais. verbo de ação.
f) Seremos bons amigos. verbo de estado.
g) Fiz todas as atividades. verbo de ação.
h) Choveu muito ontem. verbo exprimindo fenômeno da natureza.


2 comentários:

Formas Nominais do Verbo

14:55:00 Professora Manuka 2 Comentários

O assunto Formas Nominais do Verbo refere-se a algumas das diversas flexões dessa classe gramatical, que nesse caso são: Infinitivo, Particípio e Gerúndio. Acompanhe:


Imagem: Freepik.

Infinitivo
É o nome do verbo, é como o chamamos. É caracterizado pelas terminações -ar. -er, -or e -ir.
Exemplos: dizemos o verbo amar, o verbo querer, o verbo pôr ou o verbo sair.
Essas terminações também se referem à conjugação a qual o verbo pertence. Veja a seguir:

1ª conjugação: verbos terminados em -ar.
Exemplos:      Brincar, falar, caminhar, andar e amar.

2ª conjugação: verbos terminados em -er e -or.
Exemplos:      Correr, entreter, pôr, sobrepor e propor.

3ª conjugação: verbos terminados em -ir.
Exemplos: Partir, interagir e construir.

Particípio
Indica uma ação passada. É caracterizado pelas terminações: -ado e -ido.
Observe que os verbos da 1ª conjugação fazem particípio com a forma -ado, já os verbos das 2ª e 3ª conjugações fazem particípio com a forma -ido.
Exemplo: Brincar - brincado , correr - corrido, partir - partido.

Gerúndio

Indica uma ação contínua. É identificado pela forma: -ndo.
Exemplo: amando, correndo, partindo.

-Veja também:

O que é verbo?
Modos verbais
Conjugação dos verbos auxiliares ser, estar, ter e haver

2 comentários: