A verdade sobre ser freelancer e ganhar dinheiro escrevendo

07:00:00 Professora Manuka 0 Comentários

Muitas informações são propagadas na internet sobre como ganhar dinheiro escrevendo como freelancer, fazendo uma propaganda exagerada de que você poderá largar seu emprego em poucas semanas ou em poucos dias. Não é que seja impossível ganhar um bom dinheiro, mas não se ganha tanto assim escrevendo para outras pessoas. Acompanhe minha experiência:

Imagens: Freepik.

Como muitas pessoas por aí, estava querendo um dinheirinho a mais e resolvi pesquisar na internet como fazer isso. Então encontrei artigos sobre trabalho como freelancer, que envolvem diversas áreas.

Primeiramente, o que é ser freelancer?
Ser freelancer é prestar um serviço para uma pessoa ou uma empresa sem vínculo empregatício. É como um bico.

Quem pode ser freelancer?
Os jobs ou freelas (que é como os serviços são chamados) estão disponíveis em todas as áreas: escrita, tradução, área jurídica, programação de sites, ilustração, marketing, vendas, entre outros.

Para se candidatar a uma dessas áreas, é preciso, obviamente, que a pessoa tenha qualificação na área, pois os contratantes são bem exigentes.

Se você tem apenas noção de desenvolvimento de sites, por exemplo, não se comprometa a entregar um site pronto e funcional, pois não possui competência para tal e pode acabar manchando sua reputação.

Como faço para ser freelancer?
Os contratantes usam diversos sites disponíveis na web para encontrar freelancers disponíveis e capacitados para desenvolver seus projetos.

E como encontrar sites confiáveis para trabalhar? Como vou receber pelo meu trabalho? É seguro colocar meus dados nesses sites?

Já experimentei trabalhar com mais de 10 sites e registrei minhas impressões e respondi às perguntas acima no seguinte post (clique abaixo):


E como é o trabalho de produção de conteúdo?
Quem quer ganhar dinheiro escrevendo como freelancer deve inscrever-se na categoria produção de conteúdo ou em outros nomes sinônimos: redação, escrita e redação, escrita/tradução (se não souber traduzir não tem problema, é só não fazer proposta em jobs de tradução), entre outros.

Nessa categoria, os contratantes fazem propostas de escrita em diversas áreas: turismo, maternidade, moda, viagem, educação, entre outros. Os freelancers mandam suas propostas e o que mais se encaixar na proposta será escolhido.

Cada job possui uma descrição, nela encontramos: título do artigo, quantidade de palavras, o perfil do freelancer que pode fazer a proposta (geralmente eles preferem quem tem habilidade com SEO e tenha experiência na área), prazo de entrega, entre outros.

Geralmente, o contratante conversa um pouco com os freelancers que mais chamaram sua atenção antes de escolher um e, depois de escolher, ele irá resolver os demais detalhes.

Quanto ganha um freelancer que trabalha com redação?
Os valores que vou falar são com base na minha experiência com os sites que trabalhei. Os valores são realistas e não são muito altos. Veja:


- Para textos com 500 palavras: 5 reais;

- Para textos com 1.000 palavras: 10 reais;

- Muitos contratantes oferecem apenas 5 reais por texto, mesmo sendo de 500, 800 ou 1.000 palavras;

- 1,25 reais a cada 100 palavras em textos sobre assuntos gerais;

- 1,50 reais a cada 100 palavras em textos de assuntos específicos (como pesquisas sobre remédios, suplementos e doenças);

- 4 reais por página revisada;

- 2,70 reais por página revisada;

- Em relação à tradução, oferecem 0,03 reais (3 centavos) por palavra traduzida.

Esses são os valores com os quais você vai se deparar. Geralmente você faz esses textos para que outras pessoas postarem em seus blogs e, na maioria das vezes, você não leva crédito pelos textos, como colocar seu nome e contato para que outras pessoas o contratem.

Assim, a pessoa paga pouco (na minha opinião é pouco para produzir um texto único) e ficará ganhando sobre aquele texto com publicidade por muito tempo.

Outro ponto negativo é a concorrência desleal, pois muitos contratantes preferem pessoas que colocam preços muito baixos. Veja bem, produzir um texto de 500 ou 1.000 palavras leva tempo e pesquisa, com uma remuneração tão baixa, não chega nem a compensar o esforço e a energia elétrica gastos com o texto.

Alguns trabalhos específicos pagam mais, como formatação de trabalhos acadêmicos, produção de trabalhos acadêmicos e tradução de muitas páginas.

Já vi uma tradução de uma tese de mestrado do português para o inglês sair por mais de 1.000 reais. Entretanto, o contratante que pede esse tipo de serviço específico não aceita qualquer pessoa.

O escolhido, nesse caso, foi um rapaz que estava cursando mestrado, já tinha feito intercâmbio para um país de língua inglesa e tinha uma nota alta em um teste mundialmente reconhecido de proficiência em inglês.

Vou poder abandonar meu emprego para ser freelancer em tempo integral?
Provavelmente não. Esse texto não visa desmotivar ninguém, mas sim alertar para a realidade. Pode-se ganhar um dinheiro extra com escrita ou outra habilidade sendo freelancer nas horas vagas, mas não será esse o seu sustento.

Não direi que não existe ninguém que consiga viver disso, mas é algo raro. Minha intenção foi desfazer muitas ilusões de ganhar dinheiro fácil ou ganhar dinheiro sem trabalhar só ficando em casa e escrevendo qualquer coisa.

Se tiver vontade de trabalhar como freelancer, aconselho que experimente para ver como é, pois é uma vivência interessante.

Foi por causa dos meus trabalhos como freelancer, escrevendo para alimentar o blog de outras pessoas que decidir criar este blog, cuja história de criação você pode ler na íntegra clicando no título logo abaixo:

0 comentários: