Minha experiência: 99freelas, nearjob, textbroker, textmaster e mais

10:14:00 Professora Manuka 54 Comentários

Em época de crise, o trabalho como freelancer pode ser uma boa opção para gerar renda extra. Algumas pessoas pensam que todos os sites têm falcatruas, outras têm medo de se inscrever ou não sabem qual plataforma escolher. Neste post, falarei sobre minha experiência com diversos sites e espero ajudar aqueles que buscam maiores esclarecimentos. Acompanhe:

Imagem: Freepik.
O relato que farei sobre cada plataforma é sincero e baseado em minha experiência pessoal. Não se trata de um publieditorial, não recebi nada de nenhuma empresa citada e apresentei meu ponto de vista de forma respeitosa. As experiências de outras pessoas podem divergir.

99freelas
Foi o site em que mais participei. A concorrência é grande, cada projeto consegue de 100 a 200 propostas de um dia para o outro. Existem oportunidades para as mais diversas áreas: escrita, tradução, programação, criação de sites, área jurídica, entre outras. O freelancer escolhe para qual área irá aplicar a proposta de acordo com seus conhecimentos, isso ocorre tanto no 99freelas quanto nas outras plataformas.

Recebi pelo site por 6 textos, que fiz com 2 contratantes. É preciso cadastrar uma conta bancária no seu perfil para receber o dinheiro. No meu caso, chegou direitinho, sem estresse.

Interagi bastante e fiz muitas propostas também, sempre deixando meu e-mail para contato. Não há limite para o número de propostas que você pode enviar. Algumas pessoas me contrataram por fora para escrever, por e-mail ou por Skype.


Este site tem plano Premium, ou seja, que você paga para que sua proposta fique mais visível e, no caso do 99freelas, você só pode fazer sua proposta 24 horas depois que o projeto é lançado e seu portfólio no site só terá 3 projetos, caso não tenha o plano pago. Acho isso muito injusto, já que quem procura esse tipo de site está em busca de ganhar dinheiro e não de gastar.

Infelizmente, ninguém te nota se você não for Premium, sua proposta fica lá no final e seu portfólio é limitado. As oportunidades que consegui foi fazendo essa experiência: assinando o plano Premium de um mês, por 20 e pouco. Assim, os contratantes me notaram e pudemos negociar.

NearJob
Participei pouco dessa plataforma. Só fiz um trabalho sobre política, mas não recebi pelo site, recebi por transferência bancária feita pelo contratante. Não apresenta versão paga e você pode colocar seus contatos na proposta. Não há limite para o número de propostas que você pode enviar. Só achei negativo o fato de não poder editar a proposta feita, depois que ela é enviada.

Quando olhei algumas propostas no nearjob, vi pessoas que escreviam para a textbroker, mas eu não consegui fazer o mesmo, como especificarei mais abaixo.

TextBroker
Eu não consegui ter contato com os clientes nesse site. Você tem que completar o seu perfil, adicionando dados etc. Depois disso minha classificação ficou sendo duas estrelas e meu preço por palavra ficou sendo 1,7 centavos.

Segundo a TextBroker, só posso ver as propostas com o meu nível de experiência, mas não encontro nenhuma. Não é justo não poder ver outras propostas, porque assim você não vai saber o que os clientes estão buscando. Por fim, não consegui aplicar nenhuma proposta sequer.

TextMaster
Fiz minha inscrição para redação, tradução e revisão. O site informou que, sobre a área de redação: “Lamentamos, mas a língua nativa selecionada ainda não se encontra disponível no TextMaster.” Fiz minha candidatura para traduzir de espanhol para português, você seleciona o par linguístico e o texto fica disponível na plataforma para tradução, você tem oito horas para entregar, se não me engano. Fiz minha candidatura há quase um ano e ainda está em espera para moderação.

A opção de revisão também não está disponível para o português brasileiro. Resumindo: se não tenho habilidades comprovadas, não tenho como aplicar propostas.

Prolancer
Fiz minha inscrição, mas não fechei nenhuma proposta. Estranhamente, só posso enviar 5 propostas mensais e caso complete o perfil em 80%, poderei enviar 10 propostas. Se eu quiser mais do que isso, terei que optar pelo plano Premium.

Resumindo: só fiz as cinco propostas a que tinha direito e não fiz mais nenhuma depois disso.

Escrever.com
Este site possui um sistema para que você possa se inscrever: além dos seus dados, eles pedem que você escreva um pequeno texto, de 200 a 300 palavras. Se não me engano, fiz sobre o tema: “Como decorar uma sala”, era um dos três temas que eles disponibilizaram no dia.

Fiz, enviei e tive minha proposta recusada, mas é uma decisão tomada totalmente da parte deles, não te informam critérios, em que você poderia melhorar, nem nada.

Freelancer.com
Fiz minha inscrição e apliquei umas duas ou três propostas. Para ter mais visibilidade, você precisa fazer os testes que eles oferecem, todos pagos. Por fim, não fiz trabalhos nesta plataforma também.

Workana
Fiz minha inscrição e fiquei como nível iron, o mais básico. Tenho direito a aplicar duas propostas semanais, se quiser mais tenho que recorrer ao plano Premium. Para poder fazer propostas, é preciso fornecer o número do telefone e fazer um teste inicial, mas optei por não fazer.

Uma observação é que esse site não permite e-mail, Skype ou outro contato na proposta, você só pode fechar a proposta pela plataforma.

UpWork
Esse site é todo em inglês. Fiz minha inscrição para ser tradutora de inglês e espanhol. Apliquei algumas propostas, o sistema da Upwork é assim: você tem 60 connect para usar por mês, sendo que cada proposta “gasta” 2 connect, então, é possível aplicar 30 propostas por mês. Para aplicar mais, é preciso adquirir o plano Premium de 10 dólares mensais.

Nas minhas propostas, eu colocava o preço de U$ 0,03 por palavra. Uma vez um cliente me contatou por e-mail, mas eu acabei não “vencendo a proposta”. É possível ver muitos brasileiros por lá. Existem projetos para tradução de diversos idiomas.

Cada proposta tem um nível de experiência exigida, eu aplicava para as mais simples. A plataforma disponibiliza alguns testes cronometrados, eu fiz um de inglês básico, foi gratuito. Não fechei nenhum trabalho nesse também.

Lingosaur
Site em inglês. É destinado à tradução, mas eu não consegui traduzir nada, sequer consegui ver as propostas dos contratantes. Fiquei intrigada que eles mandam traduções de outras pessoas para você verificar, fiz isso duas vezes, mas depois não fiz mais, então pararam de me notificar. Isso é trabalho de revisão e deveria ser pago.

ListVerse
Esse site é em inglês e é estruturado naquele estilo top 10 fatos sobre x. Diz o site que eles oferecem U$ 100 para cada lista aprovada (a lista tem que estar em inglês e obedecer aos padrões especificados por eles).

Fiquei tentada a enviar e até comecei uma lista, mas quem garante que você vai fazer uma lista e ela será aprovada? Não há garantia, eu acho que a pessoa que paga pela lista deveria fazer a proposta num site dedicado a freelancer, assim o dinheiro ficaria sob custódia do site. Se o trabalho fosse bem feito, a pessoa receberia, se não, o contratante teria seu dinheiro de volta.

Conclusão
Por fim, de todas as plataformas para freelancer em que me inscrevi, só consegui realizar projetos no 99freelas e no nearjob. Motivei-me a escrever esse relato para que as pessoas pudessem ter informações sinceras sobre esses sites, uma vez que, sempre que eu buscava informações, via publieditoriais, ou seja, publicações em parceria que mostravam um mundo ideal.

Pode ser que outras pessoas tenham melhores experiências com sites em que não fui tão bem. Para quem deseja tentar buscar trabalhos freelancer, aconselho pesquisar a reputação da empresa no Google. Além disso, existe um site chamado Reclame Aqui, no qual as pessoas podem demonstrar sua insatisfação com algum serviço e serem respondidas pela empresa, é uma boa forma de pesquisar (deixarei o link dele aqui).

- Veja também:

A verdade sobre ser freelancer e ganhar dinheiro escrevendo

54 comentários:

  1. Obrigada! Gratidão pelas palavras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, espero que as informações tenham sido úteis. :)

      Excluir
  2. Obrigada!
    Tenho passado por tudo isso também. O mais intrigante foi o escrever.com!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada! O escrever.com te deixa sem resposta e sem saber como melhorar, nem sei se alguém consegue trabalhar com ele.

      Excluir
    2. Eu fui aprovada no escrever.com mas até agora não apareceu nenhuma encomenda neles...

      Excluir
  3. Estou tendo uma experiência agradável com o workana, vale a pena o investimento. Eu só ativei um plano de benefícios dois meses depois, quando já estava bem estruturada na plataforma. Recomendo! E irei tentar as outras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que compartilhou sua experiência conosco, Rá. Boa sorte em suas outras tentativas!

      Excluir
  4. Nossa Manuka, muito obrigada sou universitária e estou procurando um modo de ganhar nem uma grana extra, uma grana essencial mesmo.
    Passei pelo mesmo desespero de pesquisar na internet e ver só maravilhas sobre os sites.
    Muito obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu que agradeço, espero que encontre um site que possa ajudar em suas despesas. Procurei esses sites pelo mesmo motivo: universitária em busca de um dinheirinho extra, mas achei as notícias vinculadas a eles muito tendenciosas e resolvi me informar por conta própria. Boa sorte!

      Excluir
  5. Passei por tudo isso... infelizmente... inclusive no Rock Content, que falam ser o melhor. Será que ele é melhor mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ainda não conhecia esse Rock Content até você mencioná-lo, Rafael. Infelizmente, muitas empresas focam mais no seu lucro do que em dar oportunidade para quem precisa. Obrigada por compartilhar sua experiência conosco.

      Excluir
    2. Eu trabalho na Rock Content desde que ela começou suas atividades.

      Você deve se inscrever na plataforma e criar candidaturas para as áreas que tem mais afinidade (tem várias). Você á avaliado por um revisor, depois pelo moderador da tarefa e cliente. O cliente e o moderador te dão uma nota e essa nota é uma das classificações para você receber mais propostas de textos.

      Vale a pena tentar. Considero a Rock Content uma boa escola, eles disponibilizam muito material para consulta e até cursos gratuitos!

      Boa sorte =)

      Excluir
    3. Muito obrigada pelo seu relato tão detalhado sobre a Rock Content, Mari L., sua experiência ajudará outros leitores que estiverem em busca de informação.

      Excluir
  6. De todos os que citou, alguns eu fiz parte como Escrever.com, Testmaster e o Textbroker. Dentre eles, o Textbroker foi e sempre será a melhor opção.

    Quanto a pergunta sobre a Rock Content, tenho que dizer que é confiável e funciona mesmo. Os valores por artigo varia muito, de R$ 25 à R$ 100. É claro que a valores maiores. Vale a pena participar da equipe. Entretanto, a plataforma é muito rigorosa. É preciso ter conhecimento de marketing conteúdo. E o melhor de lá, é que eles fornecem conteúdos ricos para nosso aprendizado, sem falar nos cursos que nos ajudar a conhecer melhor a área. Eu recomendo. Outra opção é a Contentools.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela sua contribuição, Fábio. Cada pessoa tem experiências diferentes. Não consegui trabalhar com os sites que você citou, mas você, pelo contrário, teve boas experiências. Acredito que a melhor forma de encontrar a plataforma que mais se encaixe em nossas necessidades é tentando mesmo.

      Excluir
  7. Ótimo post! Estou começando agora como freelancer nesses sites e estava um pouco perdida! Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, Laísa. Boa sorte em suas tentativas. :)

      Excluir
  8. De Africa Moçambique, P. Manuka obrigado pelo post ajudou me bastante.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada, fico feliz de ajudar pessoas até mesmo de outros países. Um grande abraço! :)

      Excluir
  9. Muito bom o seu texto! Mostrou um panorama das plataformas de Freelancer. Estou no início como Freela. Valeu pelas dicas :)

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pela postagem! Muita esclarecedora... Sou iniciante nessas plataformas, por isso tenho muitas dúvidas. O seu texto me ajudou muito na escolha das plataformas... Enviei uma proposta no 99freelas, contudo não sei se está da maneira correta. Seria possível você me enviar por e-mail um exemplo de proposta? Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alexandre, obrigada pelo elogio.

      Sobre a proposta, vou deixar aqui um exemplo do que eu escrevia frequentemente:

      "Olá, sou Manoella, formada em Pedagogia, pós graduanda em Psicopedagogia (coloca sua formação/cursos que comprovem sua capacidade para realizar o trabalho) e tenho experiência de x anos em revisão de trabalhos acadêmicos e x anos de ensino para crianças, adultos e idosos e x anos de aulas particulares para concurso (coloca sua experiência profissional que convença que você tem capacidade para o trabalho).
      Além disso, tenho trabalhos publicados sobre os seguintes temas:
      Alimentação:
      Coloca os links.
      Saúde:
      Coloca os links. Etc.

      Deixo meu e-mail para contato:
      Seu e-mail.

      Espero ter ajudado.

      Excluir
  11. Ótimo texto Manuka!
    De todos os sites que já tentei, o que mais deu certo e único que uso hoje em dia é o Workana. No início parece meio confuso, mas logo você começa a ganhar projetos.
    O melhor de lá é que apesar da concorrência ser mediana, você ainda tem chances de conseguir um trabalho, pois geralmente são poucas propostas por projetos.
    Sobre o pagamento, não tenho o que reclamar. Você recebe uma vez ao mês no plano gratuito, e tem diversas opções para receber esse dinheiro.
    O Suporte do site é bem rápido, e eles fazem o máximo para proteger os seus freelas de clientes mal intencionados.
    Enfim, super recomendo o Workana para todo o tipo de freelancer, seja de conteúdo, design, programação e etc.
    Amei o seu texto, ótimo para quem está querendo iniciar e quer uma visão mais clara de como é o trabalho de um freela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio, Amanda. Seu relato irá enriquecer ainda mais esse post e ajudar quem estiver em busca de informações.

      Excluir
  12. Muito bacana a sua iniciativa de compartilhar suas experiências. Parabéns e muito obrigado.
    Walter

    ResponderExcluir
  13. o que preciso para ser freelancer ???
    realmente é um mundo novo para mim, estou avaliando começar, por onde devo começar,
    vamos la pelo que entendi as areas sao 1)revisao(da qual nao tenho um bom conhecimento em outras linguas, mas poderia corrigir o portugues msm? normas abnt etc?) 2)desenvovimento(area do qual tenho algum conhecimento em java,c,visualbasica,c#,sql mas nada muito avançado sera que consigo algo?) design3)(nao tenho conhecimento)escrever um artigo 4)(nunca escrevi um mas apenas areas do conhecimento sõnescessarios para esse? tipo só de algo que tenho formação etc? ou posso colocar para escrever sobre algo que conheço?) bom foram muitas perguntas mas ficaria muitisssimo grato se pudesse responde-las e me dar uma luz, bom muito ogridado desde ja

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para ser Freelancer, acredito que basta fazer algo que já se é bom, na área que for.
      1 - Sim, há trabalhos para revisar português e trabalhos acadêmicos.
      2 - Sobre computação não tenho conhecimento do tipo de proposta.
      3 - Existem várias áreas de propostas, basta escolher a que mais se identifica.
      4 - Não precisa ser formado na área para escrever um texto simples e informativo.
      Boa sorte!

      Excluir
  14. Por favor gostaria de sua opinião sobre o Studay.com.br
    Obrigado

    ResponderExcluir
  15. Nossa, eu também passei por alguns sites. Hoje eu sou parceiro do Workana e já estou no nível Platinum, apenas um do último nível. O Workana melhorou muito e consegui trabalhos sem ter plano de assinatura. Depois dá uma passada no meu blog Prof. Manuka. https://karaujo.com.br/escrita-persuasiva/

    ResponderExcluir
  16. Muito legal compartilhar suas experiências! Dica: entre no 99 freela ou outro que mostre o nome do contratante.., pesquise no facebook.. ou LinkedIn... as vzs sempre acha o "cara" negocie por fora.. todos os contatos que tenho consegui assim, tudo por fora inclusive um cliente de Portugal que atendo já a um ano... detalhe''recebo em "EURO" ! isso funcionou comigo talvez sirva tb a vcs! abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessante. Já fechei trabalhos por fora, se o cliente for confiável é uma boa, mas temos que pesquisar a reputação dele, para que não sumam na hora de pagar pelo trabalho, infelizmente já aconteceu comigo.

      Excluir
  17. Muito obrigada pelas informações! Ia me cadastrar no Textbroker, mas agora acho melhor não... Vou me cadastrar no 99. Post muito elucidativo!

    ResponderExcluir
  18. Estou iniciando como freelancer na área de Artes Visuais. Achei seus comentários muito úteis mas tenho uma dúvida. Você acha seguro se identificar com o nome e foto ou seria prudente criar um pseudônimo e um avatar ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essas plataformas trabalham recrutando profissionais, então não é interessante usar um avatar, pois não despertaria confiança no cliente. Eu sempre colocava uma foto minha, meu nome completo, minhas especialidades e um contato (e-mail ou Skype) e nunca tive problemas. Boa sorte!

      Excluir
  19. A felicidade de ter encontrado seu artigo hoje me define. Estava a ponto de me cadastrar no textbroker, mas já estranhei o fato de ter que escrever para então ser avaliado pela equipe... qualquer tempo que eu dedique fazendo um trabalho para pré-avaliação é gasto do meu tempo. Já participei de seletivas de emprego presencial desta forma e até hoje fico com a pulga atrás da orelha que meu pai me disse "eles podem usar seu trabalho... tudo o que você queimou tempo e criatividade fazendo na esperança de uma aprovação e nunca te pagar nenhum centavo". A empresa sequer me deu um feed bakc mesmo de aprovação ou não. Então tenho bastante receio disso. Obrigada pelo texto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada. Realmente, eu sempre achei estranho oferecerem propostas que já pedem um texto seu sem pagar nada, penso também que podem usar meu trabalho sem me pagar. Boa sorte!

      Excluir
  20. Show, Manuka. bateu a real.. a gente passa horas, dias se dedicando só a tentar descobrir qual site melhor atende nossa busca como frelancer. para nós iniciantes, é uma tarefa que chega a desmotivar a muitos. Posts como estes ja nos ajudam a filtrar e tentar qual seria menos arriscado... obrigado...gostei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De nada. Foi para ajudar nessa busca de informações sobre plataformas que resolvi dividir meu relato. Boa sorte. :)

      Excluir
  21. Olá Manuka. Bom te conhecer. Sou tradutor de livros técnicos há 18 anos e com a recessão me vi sem novos livros para traduzir. Pensei então em usar essas plataformas de freelancers. Pela sua experiência, vc acha possível, enquanto a situação economia e política não melhora, ganhar o pão de cada dia através dessas plataformas?
    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pela sua experiência, creio que seja possível ganhar um dinheirinho, agora se sustentar, acho difícil, pois o custo de vida no nosso país é alto. Acho que vale a pena tentar, enquanto se está procurando por algo que remunere melhor. Boa sorte.

      Excluir
  22. Olá, muito boa sua matéria, tenho feito trabalhos pelo Studybay. A gente recebe certinho.Na maioria são trabalhos acadêmicos. É tudo feito dentro da plataforma. Podemos ver todas as ofertas e dar lances sem limite. No fórum os escritores mais antigos dão bastantes dicas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo elogio, anônimo. Agradeço pelo seu relato, que bom que essa plataforma permite ver as ofertas e dar lances sem aquela questão de "pagar para trabalhar", que eu acho injusto com o usuário.

      Excluir