Jack O’ Lantern: a lenda do rosto esculpido nas abóboras

18:49:00 Professora Manuka 0 Comentários

De quem é o rosto esculpido nas abóboras que aparecem como decoração do Halloween? E quem foi Jack O’ Lantern? É isso que iremos explicar a seguir. Acompanhe:

Imagem: Freepik.

Todo mês de outubro, abóboras esculpidas espiam as pessoas nas varandas e nos degraus das portas das casas dos Estados Unidos e de outros lugares do mundo. Frutas alaranjadas (sim, abóboras são frutas) com formato de cabeça com rostos macabros cravados nelas, iluminadas internamente por velas são um sinal evidente de que o Halloween está chegando.

A prática de decorar os Jack O’ Lantern – esse nome vem de um conto do folclore irlandês sobre um homem chamado Jack Mesquinho – originou-se na Irlanda, onde batatas e nabos grandes serviam inicialmente como proteção para velas.

Os imigrantes irlandeses trouxeram essa tradição para a América, terra da abóbora, o que acabou tornando-se parte integrante das festividades de Halloween.

A lenda do Jack Mesquinho
As pessoas têm decorado os Jack O’ Lantern no Halloween por séculos. A prática originou-se de um mito irlandês de um homem conhecido pela alcunha de “Jack Mesquinho”.

De acordo com a lenda, Jack Mesquinho convidou o diabo para tomar um drink com ele. Fazendo jus ao seu nome, Jack não quis pagar pelo seu drink, então ele convenceu o diabo a transformar-se em uma moeda, para que Jack pudesse pagar pelas bebidas.

Uma vez que o diabo se transformou em uma moeda, Jack decidiu ficar com o dinheiro, colocando-o em seu bolso próximo a uma cruz de prata, o que impedia que o diabo voltasse a sua forma original.

Um tempo depois, Jack libertou o diabo, sob a condição de que ele não o incomodasse por um ano e então, Jack morreria, mas o senhor do inferno não levaria sua alma.

No ano seguinte, Jack enganou o diabo mais uma vez, fazendo-o subir em uma árvore para pegar uma fruta. Enquanto ele estava em cima da árvore, Jack entalhou um sinal da cruz no tronco dela, assim o diabo não poderia descer até que prometesse não incomodar Jack por mais dez anos.

Logo depois, Jack morreu. Como diz a lenda, Deus não poderia permitir que uma figura tão desagradável entrasse no céu. O diabo, triste com as peças que Jack pregou nele e mantendo sua palavra de que não levaria sua alma, também não poderia permitir sua entrada no inferno.

Sendo assim, ele enviou Jack de volta a Terra, para vagar pela noite escura segurando apenas um carvão em brasa para iluminar seu caminho. Jack colocou o carvão dentro de um nabo esculpido e tem perambulado pelo mundo desde então. Os irlandeses começaram a chamar essa figura fantasmagórica de “Jack of the Lantern”, cuja tradução é Jack da Lanterna, e depois a forma foi abreviada para “Jack O’ Lantern”.

Na Irlanda e na Escócia, as pessoas passaram a fazer suas próprias versões do Jack O’ Lantern, esculpindo rostos assustadores em nabos e batatas, colocando-os nas janelas ou próximo às portas para espantar o Jack Mesquinho e outros espíritos malignos ambulantes.

Na Inglaterra, as pessoas usam grandes beterrabas para fazer suas lanternas. Os imigrantes desses países trouxeram a tradição do Jack O’ Lantern quando vieram para os Estados Unidos. Eles logo descobriram que a abóbora, fruta nativa da América, era perfeita para confeccionar os Jack O’ Lantern.

Texto: History.

Tradução e adaptação: Professora Manuka. 

- Veja também: 

História do Natal: do paganismo a feriado americano


0 comentários: