Resenha do filme Gaby - Uma História Verdadeira

07:00:00 Professora Manuka 0 Comentários

O filme conta a história de Gaby, a segunda filha de um casal que morava na cidade do México, que nasceu em 12/09/1947. Aparentemente saudável, pesando 3 quilos, mas enquanto sua mãe se recuperava foram surgindo os primeiros sinais de que havia algo diferente com ela.

Fonte: divulgação.

Desde que Gaby era recém-nascida, sua mãe notou algo diferente, pois ela chorava incessantemente, um choro estridente, e não mamava. Os anos foram passando e os pais de Gaby notaram que ela não andava, não falava e não tinha controle das suas necessidades fisiológicas, algo incomum na idade dela. Sua mãe não se conformava, pois seu primeiro filho David nascera sadio.

Seus pais procuraram diversas opiniões médicas em vários lugares, até que Gaby foi diagnosticada com paralisia cerebral, doença que afetava todo seu corpo, incluindo suas cordas vocais.

O pai de Gaby a via como um problema, por ela não ser como o irmão e por não conseguirem curá-la, não importa em quantos médicos fossem. Já a mãe continuava esperançosa de que, com os cuidados certos, a filha pudesse ter uma vida satisfatória.


Gaby ficava dentro de casa sem ser exposta até para os empregados, a fim de evitar certos comentários ou até mesmo como uma maneira de proteção encontrada pelos pais, mas ainda havia sempre alguém dizendo que talvez a menina não tivesse braços e sua cabeça fosse virada, acreditando que seria castigo dos deuses, já que sua família não acreditava em Deus.

Gabriela era cuidada por uma babá que não se mostrava carinhosa, porém havia uma das empregadas chamada Florência que ao fazer suas obrigações observava a menina enquanto era alimentada por sua babá. A menina acabava empurrando o alimento e enquanto sua babá sai do quarto, Florência aproveita para observar a menina em seu berço, chegando a acariciar seu rosto, a menina lhe responde com um belo sorriso.

Após isso, Florência retira Gaby no meio da noite para alimentá-la enquanto lhe conta uma história de sua irmãzinha de quando ela era pequena. A menina rejeita o alimento empurrando com seu pé, então Florência encontra ali naquele pequeno gesto uma maneira de ensinar Gaby a se comunicar. 

No mesmo instante, Florência é surpreendida com a criança no colo, sua babá toma a menina de seu colo e ela acaba chorando, chamando a atenção de seus pais, que ao chegarem à cozinha, ficam felizes ao ver que sua filha comeu tudo, então a partir deste dia Florência passa a ser a babá de Gaby.

Gaby começa a ter aulas em casa com a ajuda de sua mãe e de Florência através de uma placa com o alfabeto, onde a menina tocava as letras com seu pé formando palavras. 
 
David, seu irmão, pretende sair e seus pais não autorizam e acabam discutindo na presença de Gaby, que acaba sentindo-se um empecilho e fica deprimida, recusando-se até mesmo a ir à escola. 

Seu pai tenta convencê-la, citando exemplos de pessoas que tinham dificuldades, mas que não desistiram e conseguiram fazer sucesso como Beethoven, que era surdo quando compôs uma música que eles estavam ouvindo.

Gaby começa a frequentar uma escola para pessoas com necessidades especiais, onde conhece Fernando e os dois começam a se envolver e desfrutar de descobertas e momentos especiais. O rapaz não gostava do método de avaliação da escola especial que eles frequentavam: todos passavam, independentemente da nota que tirassem. Propôs a Gaby que fizessem o teste para a escola regular.

Gaby usando uma máquina de escrever com os pés. Fonte: divulgação.

Os pais de Gaby foram em busca de escolas que aceitassem fazer um teste para que ela pudesse estudar em uma sala regular, mas muitas se negaram, dizendo que o lugar de Gaby não era lá e sim em uma escola especial. Buscaram até que encontraram uma escola que aceitou fazer o teste.

No dia marcado, Gaby compareceu, mas Fernando não foi. Quando ela foi a sua casa, descobriu que a ausência foi devido à falta de apoio dos pais dele, que não o levaram no dia do teste e também duvidavam da capacidade do filho, o oposto dos pais de Gaby, que a apoiavam e encorajavam a seguir adiante. Os caminhos dos dois agora tomam rumos diferentes.

Já na escola regular, Gaby se depara com a falta de acessibilidade, uma vez que não há rampas, só escadas. Além disso, é possível observar a prática de bullying por parte de alguns alunos que se aproveitam da vontade da protagonista de fazer amigos.

Em 1970, Gaby entra na Universidade do México, onde conhece Luís e se apaixona por ele. Florência tenta impedir que eles se aproximem, por temer que sua protegida se magoe, então as duas começam a se desentender. Os pais de Gaby acham que Florência não está conseguindo acompanhá-la na faculdade e quase a despedem de seu trabalho, mas ela acaba entendendo que a jovem tem o direito de escolher com quem se relaciona.

Luís consegue um emprego para Gaby em um jornal, escrevendo artigos. O pai de Gaby, Michel, falece, sua mãe vai se tratar de uma doença no exterior e seu irmão termina os estudos e vai para Israel.

Quando a jovem expressa seus sentimentos para Luís, ele a rejeita. Desiludida, ela chuta uma janela de vidro e acaba indo parar em um pronto socorro. Lá, Florência recebe uma ligação da mãe de Gaby anunciando sua volta, as duas gastam quase todas as suas economias com flores para a chegada de sua mãe.

Gaby publicou um livro sobre sua vida em 1979. Três anos depois, sua mãe acaba falecendo em decorrência de um câncer, ficando somente Florência ao seu lado, então elas decidem adotar uma menina recém-nascida, dando-lhe o nome de Alma Florência.

Autobiografia de Gaby Brimmer. Fonte: divulgação.

Tópicos para observar no filme Gaby: Uma História Verdadeira

- Relação de Gaby com a mãe;

- Relação de Gaby com o pai;

- Como era o choro da protagonista quando recém-nascida;

- Como foi a amamentação dela;

- Diagnóstico inicial do médico sobre Gaby;

- Reações dos pais ao receberem esse diagnóstico;

- Tratamento da primeira babá de Gaby para com a menina;

- Tratamento que Florência dava à menina;

- Comunicações alternativas usadas por Gaby;

- Como era a escola para pessoas com necessidades especiais: realmente incluía ou usava de piedade para com os alunos?;

- Autonomia de Gaby nas atividades diárias;

- Se em algum momento a protagonista se acha incapaz de prosseguir com sua vida;

- Relacionamento de Gaby com Fernando;

- Como é a busca por uma escola regular: Gaby é aceita ou rejeitada?;

- Diferenças entre os pais de Gaby e os de Fernando;

- Acessibilidade na escola regular;

- Bullying;

- Como era a rotina de Gaby na Universidade;

- Relacionamento amoroso da protagonista na Universidade;

- Reação de Florência diante desse novo envolvimento amoroso de Gaby;

- Emprego e vida adulta. 

- Veja também: 

0 comentários: