O surgimento da Biologia pela necessidade de sobreviver

07:00:00 Professora Manuka 0 Comentários

A Biologia pode ser definida como o conjunto de todas as ciências que estudam as espécies vivas e as leis da vida. Mais particularmente, é o estudo científico do ciclo reprodutivo das espécies animais e vegetais, do desenvolvimento da vida individual, por oposição à fisiologia. Que estuda as leis constantes do funcionamento dos seres.

Imagem: Freepik.

O termo Biologia (bios + logos = estudo da vida) foi introduzido na linguagem científica somente no século XIX, por G. R. Trevianus, e divulgado por J.B. Lamark, embora os conhecimentos dessa ciência fossem, sem dúvida, muito anteriores.

Desde o período pré-histórico, mesmo sem se saber como as coisas funcionavam, conhecimentos biológicos com bases empíricas foram formados. Pela necessidade de sobreviver, o homem primitivo precisava caçar, e por isso conheceu diversas espécies de animais e plantas, das quais ele se alimentava.

Por meio da observação, ele conheceu o comportamento de algumas espécies animais e a época de frutificação de certas plantas comestíveis. A comprovação desse fato faz-se por meio das pinturas rupestres encontradas em cavernas.

As primeiras pesquisas na área da Biologia foram feitas a olho nu. Os escritos datados de 400 a.C., cuja autoria é atribuída a Hipócrates, “o pai da Medicina”, descrevem sintomas de doenças comuns e atribuem suas causas à dieta ou a outros problemas físicos, sem se orientar pelo misticismo.

Hipócrates, o pai da Medicina. Fonte: Imagens públicas do Google.

Acreditava-se, então, que a matéria era composta por quatro elementos (fogo, terra, ar e água), e o corpo humano, por quatro “humores”: sangue, bile amarela, bile preta e flegma. Dizia-se que as doenças eram causadas pelo excesso de algum desses componentes.

Na Grécia, conhecida como o berço das ciências naturais, a Biologia dá um grande salto pelas mãos do filósofo Aristóteles. Ele percebeu que a observação sistemática era a condição indispensável para compreender a natureza.

No século II d. C., o romano Galeano percebeu que somente a observação cuidadosa das partes externa e interna (esta, por dissecação) de plantas e animais não seria o bastante para compreender a Biologia.

Ele muito se esforçou, por exemplo, para compreender a função dos órgãos dos animais. Apesar de saber que o coração bombeava sangue, era impossível a Galeano descobrir, só por meio de observações, que o sangue circulava e voltava ao coração.

Ele, então, supôs que o sangue era bombeado para “irrigar” os tecidos e o novo sangue era produzido de maneira ininterrupta para reabastecer o coração. Essa ideia errônea foi ensinada por quase 1.500 anos.

Somente no século XVII, o inglês William Harvey apresentou a teoria de que o sangue flui sem cessar em uma direção, fazendo um circuito completo, e voltando ao coração.

Durante a Idade Média, o ritmo das investigações científicas aumentou significativamente. O trabalho iniciado por Aristóteles é ampliado por Lineu, que cria as categorias hierárquicas de espécie, gênero, ordem, classe e reino. Também cria um sistema de nomenclatura dos seres vivos, empregado até hoje com algumas modificações.

Uma ideia de origem comum da vida também passou a ser discutida com base em semelhanças entre seus diferentes ramos. Apesar do ritmo das investigações, a Biologia estacionou. Os olhos humanos já não eram suficientes para novas descobertas.

Com a invenção do primeiro microscópio, no século XVII, conceitos tradicionais sobre a vida seriam derrubados, dando um novo rumo à Biologia.

Foi a partir dessa descoberta que a teoria celular foi, então, formulada, em princípios do século XIX, por Schleiden e Schwann, que concluíram que as células constituem todo o corpo de animais e plantas e que, de certa maneira, elas são unidades individuais com vida própria.

Isso ocorreu na mesma época das viagens de Darwin e da publicação de sua obra A origem das espécies, sobre as teorias da evolução. As leis de hereditariedade de Mendel foram sustentadas e explicadas pela teoria cromossômica de Morgan.

Charles Darwin. Fonte: imagens públicas do Google.

Mesmo com a teoria celular, por razões físicas, o microscópio óptico não permitia a visualização de detalhes da estrutura da célula. Com a descoberta do elétron, em fins do século XIX, e com a invenção do microscópio eletrônico, décadas depois, estruturas subcelulares foram descobertas, como o orifício do núcleo ou a membrana dupla da mitocôndria.

Com o desenvolvimento do microscópio, foi possível desvendar alguns mistérios, permitindo a Crick e Watson descobrir a dupla hélice do DNA e do código genético, em 1954, marcando o início da biologia molecular e da genética experimental.

Hoje, a Biologia tem um papel fundamental para o mundo científico. Com o uso de computadores e algumas inovações experimentais, o homem chegou à descoberta da estrutura do DNA, desvendando princípios do funcionamento básico da vida.

Fonte:

Multimatérias. MAIA, Raul. LISTA, Eliana Maia. TUCCO. PAULA, Ivan de. ROSA, Karla Lista. São Paulo: DCL, 2006. 

- Veja também: 

Carbono, compostos orgânicos e a origem da vida 


16 de setembro: dia internacional do ozônio

0 comentários:

Por que devemos estudar História?

15:49:00 Professora Manuka 0 Comentários

Por que eu devo estudar História? Certamente é o que perguntam diariamente muitos estudantes quando entram numa sala de aula ou quando abrem seus livros. Qual a importância dessa matéria, afinal? Acompanhe:

Imagem: Freepik.

Parece que estudar História significa ler sobre a vida de pessoas ou civilizações que um dia viveram e morreram e nada mais. E qual a relação de povos que viveram há mais de mil anos, por exemplo, com os dias atuais? Novamente: por que estudar História?

Para entendermos um pouco da importância do estudo de História, vamos dividir esse assunto em partes.

O que é História?
Estudar História significa pesquisar, investigar, indagar sobre o passado. O primeiro historiador foi Heródoto, um grego que viveu no século IV a.C., que viajou para o Egito e começou a relatar as histórias daquele povo.

Heródoto. Fonte: imagens públicas do Google.

A ideia como História como uma ciência surgiu na Europa, no século XIX. Nesse momento, surgiram os primeiros cursos que passaram a ensinar métodos de pesquisa e que documentos históricos (fontes) deveriam ser utilizados na pesquisa histórica.

Os historiadores pesquisavam os “fatos”, os acontecimentos que julgavam mais importantes. Era a “história factual”, e as fontes utilizadas eram os chamados “documentos oficiais”, registros governamentais ou de órgãos oficiais.

Já no século XX, alguns historiadores pensavam de forma diferente. O que são “fatos importantes”? Saber sobre a vida de pessoas “comuns” e seu cotidiano não é importante?

E mais, é possível afirmar que os documentos oficiais contêm a “verdade”, que os homens que produziram esses documentos não tinham interesses pessoais, não eram sujeitos passionais?

Com base nesses questionamentos, os próprios documentos utilizados nas pesquisas mudaram? Livros, poesias, pinturas, esculturas, cartas pessoais, fotos e objetos ganharam a mesma importância dos documentos oficiais.

Como estudar História?
Muitos diziam que a História é apenas a pesquisa sobre o passado e nada mais. Hoje, podemos defini-la como um estudo que nos ajuda a entender os problemas do presente.

Para isso, é preciso pensar num movimento de rupturas e permanências, ou seja, daquilo que desaparece ou permanece no tempo, daquilo que mudou e daquilo que não mudou.

Um exemplo dessa ideia das rupturas e permanência é a questão da terra no Brasil. Como entendermos o MST ou as Ligas Camponesas sem estudarmos a ocupação portuguesa no Brasil no início do século XVI, a expulsão dos índios de suas terras e a forma de sua distribuição entre os portugueses?

O nosso subdesenvolvimento econômico também não pode ser entendido sem atentarmos para o fato de que, desde o período da Proclamação da Independência, as influências inglesas e a nossa dependência econômica marcaram o desenvolvimento econômico do país.

Não podemos pensar sobre a questão do terrorismo fundamentalista atual sem estudarmos a formação do islamismo há 14 séculos e a dominação econômica exercida pelos norte-americanos e pelas potências europeias.

Muitos são os exemplos que podemos citar sobre a presença de questões históricas antigas, boas ou ruins, e que estão presentes em nossos dias.

Quem faz a História?
Diariamente, andamos pelas ruas, entramos nos ônibus, comemos em restaurantes ou lanchonetes, entramos em prédios, lemos jornais, navegamos na internet ou ligamos a TV e o que vemos? “Nada de mais”, dirão alguns, e eu espero que você não seja um deles.

Pois é, a História está presente no nosso dia a dia e não nos damos conta. Como? Por exemplo: a grande maioria dos países hoje busca uma maior participação de seus povos na vida política, nas decisões a serem tomadas etc.

Esse regime político é a democracia e foi criado na Grécia Antiga por um ateniense chamado Clístenes, há cerca de 2.500 anos.

Clístenes. Fonte: imagens públicas do Google.

É claro que naquele período a democracia tinha um funcionamento diferente, nem todos eram considerados cidadãos, somente os atenienses, homens e maiores de 21 anos, ou seja, mulheres e estrangeiros não podiam participar das decisões e, portanto, somente alguns poucos podiam participar das decisões a serem tomadas.

Hoje, ainda não encontraram um regime político melhor, apenas tentam aprimorar a democracia.

A luta pela paz não é privilégio de nosso tempo. Muitos foram aqueles que, em suas épocas, lutaram por um mundo mais humano e mais justo. Podemos citar alguns dos mais nobres representantes dessa causa: Jesus Cristo, Mahatma Gandhi, Nelson Mandela e Martin Luther King.

Vivemos num mundo que gira em torno da Ciência e dos progressos tecnológicos. E o que seria de nós se não tivessem existido sujeitos como Arquimedes, Pitágoras, Galileu Galilei, Giordano Bruno, Isaac Newton, Albert Einstein?

As ideias desses homens que muitas vezes não foram aceitos em suas épocas, são a base da ciência que tanto admiramos e da qual necessitamos. Muitos foram os nomes que fizeram a História, alguns deles conhecidos, outros desconhecidos, mas todos admirados.

Ainda existem dúvidas sobre os construtores das grandes pirâmides (aqueles que planejaram e aqueles que trabalharam nas obras), mas a magnitude e o conhecimento lá registrados são admirados até o dia de hoje.

Quantos soldados anônimos morreram em combates acreditando estar lutando pelo bem se seu povo ou da própria humanidade? Quais os nomes dos operários que trabalharam no Ford T, realizando o sonho de milhares de norte-americanos?

Exaltamos os grandes nomes que, com suas ideias e suas criações, mudaram nossa forma de agir e o meio à nossa volta e também aqueles que trabalharam no anonimato para que essas grandes ideias pudessem ser concretizadas.

Após temos visto um pouco a respeito da historiografia e a importância do seu estudo, podemos incluir que a História nos possibilita conhecer mais sobre nós mesmos e sobre o mundo em que vivemos hoje.

Fonte:

Multimatérias. MAIA, Raul. LISTA, Eliana Maia. TUCCO. PAULA, Ivan de. ROSA, Karla Lista. São Paulo: DCL, 2006. 

- Veja também: 



0 comentários:

Técnica Pomodoro para organizar o tempo de estudo

07:00:00 Professora Manuka 0 Comentários

Na atualidade temos muitas técnicas para organizar o tempo e aumentar a produtividade, mas poucas são tão simples como a Técnica Pomodoro. Essa técnica foi inventada pelo italiano Francesco Cirillo, na década de 80, e até hoje muitas pessoas se beneficiam utilizando-a em suas vidas. Acompanhe:

Imagens: Freepik.

Já aconteceu com muitos de nós de iniciarmos um projeto com muito entusiasmo, mas antes mesmo de finalizá-lo detectamos que ia rumo ao fracasso.

Na maioria dos casos, isso se deve a uma ausência de planejamento, isto é, uma falta de organização das tarefas que devemos realizar e os períodos de tempo para realizá-las.

Esse método serve para otimizar a administração do tempo. Por essa razão, a principal ferramenta deste método é o relógio. O trabalho se desenvolve em lapsos denominados “pomodoros”.

Um Pomodoro equivale a 25 minutos de trabalho ininterrupto e 5 minutos de descanso.
“Não podemos nos dar ao luxo de gastar muito mais tempo em coisas pequenas do que gastamos em coisas importantes.” - Jim Rohn

O fundamento científico        
Essa técnica possui fundamento científico. Estudos confirmam que o cérebro humano só pode estar verdadeiramente concentrado por um período de 25 minutos.


Daí em diante, o cérebro se “desconecta”, fato que é evidenciado pela distração e pela diminuição do rendimento.

Portanto, o recesso de 5 minutos é para dar um descanso ao cérebro ao realizar uma atividade distinta do que estava desenvolvendo. Dessa forma, quando a tarefa for retomada, o rendimento será ótimo e constante.

Vale apenas esclarecer que, após 4 pomodoros seguidos, o descanso deve aumentar para aumentar para 20 minutos.

É importante adiantar um planejamento básico do trabalho que pensamos em realizar. Este planejamento consiste em realizar uma lista com as tarefas que pensamos em realizar.

Posteriormente, iremos hierarquizá-las, isto é, estimarmos o grau de importância de cada uma ou estabelecermos uma ordem lógica de execução. Isso se aplica tanto em atividades cotidianas como para projetos de maior dimensão.

Otimização do tempo
É interessante observar que aqueles que aplicam esse método têm a possibilidade de observar o número de pomodoros envolvidos no desenvolvimento de cada tarefa.

Isso pode parecer não ser importante, mas é. Com o tempo, detectamos períodos de tempo desperdiçados, por exemplo: notamos que uma tarefa que demorávamos 5 pomodoros para realizar, na realidade podemos fazer em 4.

Esse fato significa que a otimização do tempo ao utilizar esse método não só rendeu frutos durante a aplicação da técnica como também auxilia na criação de destreza para otimizarmos nosso tempo cada vez mais.

Além disso, a Técnica Pomodoro motivou a criação de software e outras aplicações para plataformas e dispositivos.

Ainda que, no princípio, tenha sido um método desenvolvido para ser aproveitado de forma individual, com o tempo se mostrou igualmente efetivo se implementado em grupos.

Essa técnica não só estimula a satisfação pela realização como também promove a utilização de uma baixa tecnologia por necessitar de coisas simples: papel, lápis e um relógio.


Para aplicar a Técnica Pomodoro, é preciso seguir esses passos:

- Elaborar uma lista de tarefas e escolher a tarefa que pensamos em realizar;

- Configurar o relógio ou cronômetro para que conte 25 minutos (um pomodoro);

- Trabalhar de maneira exaustiva e contínua na tarefa escolhida durante os 25 minutos;

- Ao terminar esse período, escrever um X na frente da tarefa realizada na lista;

- Ter um descanso de 5 minutos;

- Continuar com o próximo período de 25 minutos, anotar outro X, ter outro descanso de 5 minutos e assim sucessivamente até terminar a tarefa;

- Cada vez que completamos 4 pomodoros, tomar um descanso de 20 minutos.

Truques para melhorar a Técnica Pomodoro
É fundamental que, a cada pomodoro, tenhamos a maior concentração possível frente ao trabalho que estamos desenvolvendo. É importante que nos blindemos de qualquer elemento que possa causar distração.

Saber quantos pomodoros levamos para realizar uma tarefa é muito útil, porque nos permite distribuir nosso tempo de maneira mais eficiente e contar com mais tempo para desenvolver outras atividades.   

Com o tempo, e especialmente quando se trata de realizar tarefas simples, poderíamos propor a nós mesmos a meta de adiantar as tarefas em um menor tempo ou de melhorar sua qualidade, para sermos mais eficientes e podermos contar com mais tempo livre.



Tradução e adaptação: Professora Manuka. 

- Veja também: 


0 comentários:

Expressões populares com nome de animais

07:00:00 Professora Manuka 0 Comentários

Algumas expressões populares da Língua Portuguesa possuem nomes de animais em sua estrutura. Não é que essas expressões liguem seu significado a uma característica do animal, pois a maioria delas tem o intuito de dizer algo indiretamente. Acompanhe:

Imagem: Freepik..

- Abelhudo(a)
Exemplo: Aquele menino é muito abelhudo.
Significado: ser curioso(a).

- Abraço de urso
Exemplo: Adoro um abraço de urso.
Significado: abraço caloroso.

- Amigo(a) da onça
Exemplo: Aquela Marina nem me avisou que ia sair, ela é uma amiga da onça, isso sim!
Significado: pessoa traiçoeira; falso amigo.

- Anta
Exemplo: Você é uma anta!
Significado: alguém incapaz de realizar uma tarefa; incompetente.

- A passos de tartaruga
Exemplo: A empresa está fazendo a obra a passos de tartaruga.
Significado: fazer algo devagar demais.

- Arre égua
Exemplo: Perdi o ônibus. Arre égua!
Significado: expressão que indica frustração.

- Boca de siri
Exemplo: Eu te contei esse segredo, mas faz boca de siri, hein?
Significado: guardar segredo; ser discreto.

- Burro
Exemplo: Você é muito burro, cara!
Significado: incompetente; incapaz.

- Cabra macho
Exemplo: Aquele vaqueiro é um cabra macho.
Significado: valente; obstinado.

- Cair como um pato
Exemplo: João caiu como um pato no golpe da quadrilha.
Significado: deixar-se enganar.

- Cantar de galo
Exemplo: Ninguém vai cantar de galo aqui na minha casa!
Significado: querer mandar em algum lugar; dar ordens a alguém.

- Cérebro de passarinho
Exemplo: Esse menino é tão irresponsável, parece até que tem cérebro de passarinho.
Significado: falta de juízo; falta de inteligência.

- Cobra criada
Exemplo: Júlia é cobra criada, com certeza vai se adaptar rápido à mudança de cidade.
Significado: pessoa sagaz, que se adapta a qualquer situação.

- Cutucar onça com vara curta
Exemplo: O chefe está bravo, é melhor não importuná-lo, pois ninguém quer cutucar onça com vara curta.
Significado: falar com uma pessoa brava; importunar alguém de temperamento explosivo ou mau humor.

- Da cor de camarão
Exemplo: Acabei me esquecendo de passar protetor solar e estou da cor de camarão.
Significado: queimado(a) de sol.

- Dar com os burros n’água
Exemplo: João tentou de tudo, mas no fim deu com os burros n’água.
Significado: decepcionar-se; não conseguir algo.

- Deu zebra
Exemplo: Planejamos tudo sobre o evento, mas, no final, deu zebra.
Significado: dar errado; fracassar.

- Engolir sapo
Exemplo: Às vezes temos que engolir alguns sapos na vida.
Significado: ouvir desaforos; relevar situações.

- Forte como um touro
Exemplo: Meu pai nunca fica doente, ele é forte como um touro.
Significado: ter boa saúde.

- Lágrimas de crocodilo
Exemplo: Não vou me comover com suas lágrimas de crocodilo.
Significado: falso sofrimento; dissimulação.

- Lobo em pele de cordeiro
Exemplo: Aquela sua amiga era um lobo em pele de cordeiro.
Significado: pessoa dissimulada; alguém que finge ser o que não é.

- Mãe/pai/avó (etc.) coruja
Exemplo: Marta é uma mãe coruja.
Significado: pessoa amorosa e protetora.

- Mais vale um pássaro na mão do que dois voando
Exemplo: Não consegui ganhar as duas competições, fiquei em primeiro lugar em natação e em segundo lugar na corrida. É a vida: mais vale um pássaro na mão do que dois voando.
Significado: mesmo que não se tenha tudo, é possível se alegrar com o que se tem.

- Na lagoa, de cócoras junto com os sapos
Exemplo: Já que estou nesse emprego, preciso me adaptar à dinâmica da empresa. Na lagoa, de cócoras junto com os sapos.
Significado: adaptar-se às circunstâncias.

- Olho de peixe
Exemplo: Mariana têm olhos de peixe.
Significado: pessoa com um formato de olho “caído”, mais puxado para baixo.

- Ovelha negra
Exemplo: Eu sou a ovelha negra da família.
Significado: ser diferente dos demais.

- Patinho feio
Exemplo: Muitas adolescentes se acham um patinho feio.
Significado: achar-se feio(a) ou inferior aos outros.

- Pombinhos
Exemplo: Os dois pombinhos estão aproveitando a lua de mel.
Significado: amantes; pessoas apaixonadas.

- Ter olhos de águia
Exemplo: Minha mãe tem olhos de águia.
Significado: perceber tudo que ocorre ao seu redor.

- Ter minhoca na cabeça
Exemplo: Maria só tem minhoca na cabeça.
Significado: não ter juízo; ser irresponsável.

- Sangue de barata
Exemplo: Eu não posso aguentar isso, não tenho sangue de barata.
Significado: suportar mais do que os outros; ser humilhado.

- Sereia
Exemplo: Aquela atriz é uma sereia.
Significado: ser bonita; atraente.

- Ser galinha
Exemplo: Aquele seu amigo é muito galinha.
Significado: ser uma pessoa infiel ou promíscua.

- Ser um gato(a)
Exemplo: Marcos é um gato.
Significado: ser bonito(a).

- Ser uma cobra
Exemplo: Aquela mulher é uma cobra.
Significado: ser traiçoeiro; não ser de confiança.

- Ser uma onça
Exemplo: O pai da minha namorada é uma onça.
Significado: ser bravo; ser severo.

- Teimoso(a) como uma mula
Exemplo: Meu marido é teimoso como uma mula.

Significado: ser obstinado; não abrir mão de suas convicções. 

- Veja também:  



0 comentários: